Mais Beiras Informação

Diretor: Paulo Menano

Autocarros verdes da FlixBus chegam à Guarda e a Vilar Formoso e asseguram ligação diária ao Porto

A nova linha liga Vilar Formoso e Guarda ao Porto, com paragens em Viseu e Aveiro

A alemã FlixBus, o maior operador europeu de transporte expresso de passageiros, acaba de expandir a sua rede doméstica em Portugal ligando Guarda e Vilar Formoso ao Porto, com paragem em Viseu e Aveiro. A nova linha arrancou no passado dia 9 de Junho, e os preços para o percurso Guarda – Porto começam nos 7,99 €, variando em função da data da reserva.

A operar em Portugal desde 2019, a FlixBus veio trazer ao mercado português uma nova forma de viajar, mais confortável, económica e sustentável. Os autocarros que operam as linhas da FlixBus são novos, tendo no máximo quatro anos, são mais cómodos, e têm espaço extra para as pernas. Possuem acesso gratuito a WiFi e um serviço de entretenimento a bordo, e todos os autocarros estão equipados com tomadas para PC, telemóveis e tablets. Os autocarros cumprem ainda com a norma Euro VI, a mais exigente da Europa em termos de emissões de CO2, sendo também os mais eficientes e sustentáveis do mercado.

Em Vilar Formoso, a paragem é junto ao Posto de Turismo, e na Guarda a paragem faz-se no Terminal Rodoviário. O preços começam nos 9,99 € e 7,99 €, respectivamente, e a FlixBus inicia esta nova linha com uma ligação diária. Para além de estarem disponíveis online, em www.flixbus.pt, e na App (disponível para IOS e Android), os bilhetes podem ser adquiridos diretamente ao motorista, no próprio autocarro.

Os preços dos bilhetes FlixBus variam de acordo com a antecipação da compra, um pouco à semelhança do que acontece com as companhias aéreas, pelo que, quanto mais cedo se comprarem os bilhetes, mais barata é a viagem.

 

Um milhão de passageiros em Portugal

A empresa alemão acaba de atingir um milhão de passageiros transportados de e em Portugal, nas linhas domésticas e internacionais, representando um crescimento de 97% face ao verão de 2019. Em plena pandemia do Covid-19, a FlixBus transportou cerca de 43 mil passageiros nos meses de Julho e Agosto de 2020, menos de metade dos 105 mil transportados nos mesmos meses em 2019. Este ano, a empresa recuperou e voltou a crescer no nosso país, tendo transportado 207 mil pessoas só nestes dois meses de verão, sendo que, destes, mais de 40% eram de nacionalidade estrangeira, nomeadamente de Espanha, França e Alemanha.

“Estamos a recuperar, felizmente, 2020 foi um ano terrível para o sector”, afirma Pablo Pastega, Diretor Geral da FlixBus em Portugal e Espanha. “Agora é continuar com o plano traçado para Portugal, que é continuar a investir de modo a oferecermos aos portugueses a maior rede de autocarros de médio e longo curso do país. A nossa rede doméstica continua a crescer e chegamos já a 40 cidades em Portugal. Apesar das dificuldades que enfrentamos diariamente, estamos bastante muito satisfeitos com os resultados. Este mercado foi e continua a ser a grande aposta da FlixBus em 2021, vamos continuar a investir na expansão da rede doméstica, em conjunto com os nossos parceiros locais, e também a reforçar a rede internacional, ligando cada vez mais cidades portuguesas a pequenas e grandes cidades europeias”, conclui.

 

Cada vez mais autocarros verdes na estrada e um mercado prioritário para a empresa alemã

A rede da FlixBus em Portugal cobre atualmente mais de 150 destinos, com linhas nacionais e internacionais a ligarem cidades como Lisboa, Porto, Braga e Coimbra a países como Espanha, França, Alemanha, Luxemburgo, Suíça e Bélgica, entre outros. Com um modelo de negócio único e tecnologicamente inovador, a a empresa alemã trabalha em parceria com operadores locais, num modelo de partilha de receita.

De acordo com Pablo Pastega, o responsável da empresa no nosso País, “em 2022, se a situação pandémica assim o permitir, continuemos a crescer no país, e, entre outros, em comparação com 2021, iremos triplicar os nossos expressos na rede doméstica, com a ajuda dos nossos parceiros locais” afirma. “Com o investimento e desenvolvimento que continuamos a fazer na rede doméstica, é nosso objetivo é chegar aos 2 milhões de passageiros até ao final de 2022. Isto, caso a pandemia continue a evoluir favoravelmente”, conclui.