Mais Beiras Informação

Diretor: Paulo Menano

Bordallo Pinheiro e Turismo de Portugal lançam a “Andorinha da Diversidade”

A Fábrica de Faianças Bordallo Pinheiro, em parceria com o Turismo de Portugal, lança a peça “Andorinha da Diversidade”.

Partindo da icónica peça de cerâmica, criada por Bordallo Pinheiro, cuja patente foi registada em 1896, a “Andorinha da Diversidade” foi concebida para representar o melhor de Portugal, um país aberto, disponível para a descoberta, construtor de pontes, de diálogo e de encontro de culturas e de povos das diferentes latitudes. Tal como a andorinha, ave migratória que explora os recantos do mundo, Portugal está preparado para receber bem todos aqueles que querem visitar os seus recantos. A andorinha de asas pretas habita, desde os finais do século XIX, nas casas portuguesas e simboliza o ninho, a harmonia, a felicidade, a prosperidade, mas também o amor, a lealdade e a fidelidade. Conhecida como “ave da partida e do regresso”, a andorinha possui uma característica extraordinária: transuma no inverno e retorna no verão,  como  uma grande parte  dos  turistas que visitam Portugal e que regressam sempre.

A Bordallo Pinheiro e o Turismo de Portugal pegaram na andorinha original e criaram um símbolo que representa a multiculturalidade do nosso país, através da multicolorida “Andorinha da Diversidade”. Esta foi a forma de expressar a diversidade da cultura portuguesa, mas também de afirmar o respeito por todas as diferenças.

O símbolo de um país universalista, diverso e que sabe receber todos os que o visitam e respeitar todas as diferenças.

Para Nuno Barra, administrador da Bordallo Pinheiro “esta parceria com o Turismo de Portugal é um motivo de grande regozijo para a nossa marca, que pretendemos seja cada vez mais global. Ao criarmos esta “Andorinha da Diversidade” com o Turismo de Portugal vamos, em conjunto, dizer ao Mundo que o nosso país, além de ser um dos melhores destinos turísticos a nível internacional, é um país inclusivo e que recebe todos da mesma forma, sem olhar à cor da pele, à religião, ao país e cultura de origem, ao género ou à orientação sexual. Afirmamos, com esta Andorinha, o caráter afável e humanista do nosso povo. No fundo, esse era também o espírito de Raphael Bordallo Pinheiro, uma personalidade muito à frente do seu tempo, que ajudou a quebrar muitos preconceitos e barreiras.“

O Presidente do Turismo de Portugal, Luís Araújo, considera a “Andorinha da Diversidade” um símbolo que agrega as características e dimensões que ajudam a construir a imagem de Portugal nos mercados internacionais, referindo que “Portugal e os portugueses continuam a ter todos os atributos e competências que nos levaram ao topo, pelo que a ambição mantém-se: liderar o turismo do futuro, regenerando o nosso destino através de um forte propósito de receber todos  e respeitar todas as diferenças”.