Mais Beiras Informação

Diretor: Paulo Menano

‘Cápsula do Tempo’ substitui primeira pedra da requalificação do Mercado Municipal de Fornos de Algodres

Foi uma tarde muito preenchida na vila de Fornos de Algodres, com a visita da Ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, onde juntamente com Manuel Fonseca, Presidente da Câmara de Fornos de Algodres e demais entidades procederam à colocação da primeira pedra da requalificação do Mercado Municipal e inauguraram o Jardim Quintas da Vila.

Colocação da Primeira Pedra da Requalificação do Mercado Municipal

O Mercado Municipal de Fornos de Algodres vai ser alvo, durante o próximo ano, da sua terceira requalificação.

O arquiteto Rui Santos, representando os restantes arquitetos projetistas que não puderam estar presentes na cerimónia, começou por elucidar os presentes, com uma explicação detalhada, daqueles que foram os princípios teóricos que nortearam a intervenção da sua equipa, o conceito pretendido e o objetivos que se propõem atingir com esta requalificação. Transformar o Mercado Municipal num espaço público e social, e não só um espaço meramente comercial.

A  intervenção visa não só proteger o recinto da degradação a que está sujeito com o tempo mas sobretudo melhorar as condições de quem lá trabalha, faz compras e visita. Ser um ponto de encontro harmonioso e funcional entre gerações, um espaço económico, social e cultural para a realização eventos.

Ao longo da cerimónia, a primeira pedra desta requalificação foi simbolicamente representada por uma ‘cápsula do tempo’ onde foram colocados alguns itens que se consideram interessantes a encontrar ‘daqui a 20 anos’, nomeadamente uma moeda atual de 1€; três fotos antigas, uma da inauguração, outra da requalificação do mercado em 1939 e ainda outra da última intervenção em 1999; um exemplar do Jornal de Notícias, para que daqui a 20 anos se possam ler as notícias daquele dia, e o testemunho de quinze jovens fornenses sobre o que gostariam de ver no mercado neste espaço de tempo.

Foi feita a leitura do auto de consignação da intervenção, o qual foi assinado pelo representante do dono da obra, António Manuel Pina Fonseca, Presidente da Câmara de Fornos de Algodres, e pelo representante do adjudicatário, Sr. Engenheiro, António João dos Santos, proprietário da EDIBEIRAS – Edifícios e Obras Públicas das Beiras.

Ana Abrunhosa, Ministra da Coesão Territorial, começou a sua intervenção por elogiar a cerimónia, distinguindo-a das outras a que já assistiu, salientando a presença de jovens do concelho. Referiu a importância dos mercados municipais para os territórios onde estão fixados, como fatores centrais para a economia local e comunidade.

Sublinhou o trabalho da Sr. Presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro e sua equipa, também presentes, pela disponibilidade em encontrar uma solução que não se visou fácil pela escassez de recursos mas “para os bons projetos temos de encontrar sempre recursos”, remata a Ministra da Coesão Territorial.

85% do investimento desta reabilitação provém de fundos comunitários europeus, com vista a melhorar a qualidade de vida dos habitantes, pois este mercado para além de ‘montra’ para os produtos locais é também ponto de encontro para os fornenses.

Inauguração do Jardim Quintas Da Vila

O Jardim Quintas da Vila é um novo espaço público já conseguido e dedicado ao lazer e ao descanso, também ele realizado pela EDIBEIRAS – Edifícios e Obras Públicas das Beiras em parceria com o Município de Fornos de Algodres.

Quanto à obra, Ana Abrunhosa reforçou a importância destes espaços públicos para a população, pois quantos mais forem os espaços verdes maior será a capacidade de resistência da população às ondas de calor e as alterações climáticas. Algo que garantiu ser valorizado no próximo quadro comunitário, incentivando os municípios a repensar as questões ambientais para garantir um futuro sustentável.

“Apesar das dificuldades que enfrenta, Fornos de Algodres não desiste de apostar nos seus projetos e de fazer mais e melhor por quem aqui vive e trabalha. E não se deixa condicionar por ser um município do interior e, pelo contrário, consegue tirar partido dessa condição. Saibamos nos aproveitar essas vantagens e atenuar as desvantagens”, finaliza a Ministra.