Mais Beiras Informação

Diretor: Paulo Menano

Gouveia recebe espetáculo “Afluentes – Baile Mandado Intergeracional” no dia 9 de outubro


O Parque da Ribeira, em Gouveia vai receber o espetáculo “Afluentes – Baile Mandado Intergeracional” no dia 9 de outubro.

Este espetáculo que agora vai ser apresentado ao público, resulta do trabalho desenvolvido pelas associações de cada município que integra a Alto Mondego Rede Cultural nas sessões de capacitação de artes performativas coordenadas por Marta Silva e assistidas por Marta Coutinho, ambas com formação e uma vasta experiência na área da dança e outras.

Um projeto que envolve os Municípios de Gouveia, Fornos de Algodres, Nelas e Mangualde e cofinanciado pelo Centro 2020, Portugal 2020 e FEDER.

Sinopse:
Afluentes é um momento de festa dançada que queremos partilhar com todos.
Um baile mandado para todas as idades, onde o movimento de cada um ou de todos nós irá recriar elementos simbólicos que ligam os 4 territórios por onde passámos ao longo dos últimos meses: Fornos de Algodres, Gouveia, Mangualde e Nelas.

Na serra nascem memórias leves, bonitas mas também duras, de um passado onde o trabalho marcou o corpo de tanta gente. Dançaremos os movimentos desse trabalho da comunidade de Gouveia, com orgulho de quem herdou um legado precioso que sustenta a ancestralidade. Os pés pontilham no chão e no ar os bordados Tibaldinho de Mangualde, enquanto um grupo de corpos relembra os dolmens na paisagem de Fornos. As rivalidades dos carnavais de Nelas transformam-se em “polcas”, amansadas numa dança de mantas e toalhas onde logo se serve o grande baile final da comida.
Porque não há festa sem comida, mas acima de tudo sem a alegria de estarmos juntos, num remoinho de pessoas que enchem o leito das praças, largos ou jardins como afluentes do rio mondego que tudo liga ao presente, passado e futuro.

Este é o resultado do processo de capacitação que as formadoras Marta Silva e Marta Coutinho desenvolveram ao longo de 6 encontros com um grupo de profissionais de várias áreas que têm em comum o trabalho com o movimento com diferentes grupos etários destes 4 territórios, a convite da Rede do Alto do Mondego.

Com grupos de rancho, crianças e jovens, universidades seniores, grupo de teatro, entre outros elementos das comunidades locais, co-criamos um conjunto de jogos coreográficos participativos que celebram o património imaterial numa exercício de diálogo, parcerias e criatividade.