Mais Beiras Informação

Diretor: Paulo Menano

Opinando: Propósito, o estrelato no Desporto e na Vida!

Tenho o privilégio de poder conviver com muitos jovens desportistas. Mediante as entrelinhas dos seus diálogos, percebo que alguns deles não praticam desporto pelo prazer da superação desportiva. Por norma, estes jovens têm uma grande dificuldade em abdicar de outras atividades que lhes são prazerosas, no entanto incompatíveis para quem almeja atingir os mais altos patamares de desempenho. Muitos deles pretendem viver um contexto envolvido nas consequências do mediatismo, alicerçado nos bens materiais que provêm dos mais altos patamares do mundo desportivo. Por outras palavras, gostavam de viver no mundo do estrelato, no entanto, não estão dispostos a abdicar de outros momentos que são nitidamente prejudiciais para o sucesso desportivo. Quando isto acontece, todos nós sabemos como vão acabar os seus sonhos!

Outro tipo de jovens desportistas que muitas vezes encontro são aqueles que têm um talento natural incrível, têm bons treinadores, boas condições de treino, mas falta sempre algo! Falo-lhe da verdadeira capacidade de superação. Esta, implica a capacidade de vencer barreiras, ultrapassar limites, transpor obstáculos e dificuldades impostas, alcançar vitórias e quebrar recordes. Gosto de acreditar que todos os obstáculos são ultrapassáveis, exceto quando somos nós o próprio obstáculo. O que pretendo dizer com isto? Simplesmente que para atingirmos o objetivo que nos propomos, temos de o tornar um propósito. E o propósito está diretamente relacionado com o legado que pretendemos deixar no mundo, assim como a quantidade de energia que estamos dispostos a despender para alimentar esse mesmo propósito. Ou seja, posso querer muito ser jogador de futebol de alto nível, porém, para que tal tenha maior probabilidade de acontecer, a minha presença, entrega, concentração, disponibilidade, deve ser de nível estratosférico tanto em treinos como em jogos, possibilitando assim que supere todos os meus limites e evolua como jogador. Engane-se quem pensa que apenas é necessário participar no treino e jogo, isso equivale apenas a sobreviver no desporto. Se quisermos atingir patamares de alto nível, é necessário viver intensamente e com paixão o treino e o jogo, tornando-nos seres capazes de transformar o sacrifício de executar tarefas que muitas vezes não temos a vontade momentânea de as fazer, numa fonte de intensa de prazer.

ALERTA! Durante o seu percurso desportivo o atleta vai ter momentos de frustração? Vai! Se vai ter momentos em que as coisas lhe correm mal? Vai! Se vai pensar que não é capaz? É muito provável que aconteça! Porém, para que estas questões que enuncio a título de exemplo não sejam definitivos obstáculos ao sucesso desportivo, é necessário que desde cedo, as crianças aprendam a lidar com as frustrações do dia-a-dia. É necessário que nós pais, evitemos as redomas protecionistas em que muitas vezes envolvemos os nossos filhos, quando por exemplo, não os deixamos ir para a rua porque é perigoso; quando perante o insucesso escolar atribuímos a culpa aos professores; quando ao mau comportamento atribuímos a responsabilidade às companhias; quando não são titulares ou convocados no clube, se coloca em causa a competência dos treinadores, etc. Momentos infelizes fazem parte da vida. Ninguém consegue saber o que é a felicidade, quando não passa por momento infelizes. A vida é mesmo assim! No entanto, passar por estes momentos, assumir a sua responsabilidade e saber lidar com eles da forma mais natural possível é essencial.

O que fazer perante os momentos infelizes? A resposta é simples, mas complexa: AGIR. Pela nossa resistência à mudança e pela natural acomodação do ser humano às zonas de conforto, agir por vezes é um processo difícil, doloroso e demorado. Contudo, quanto menos tempo “mastigamos” o momento de infelicidade ou frustração e mais rápido agimos para o superar, maior probabilidade temos de aumentar a nossa resiliência, que muito contribuirá para o sucesso desportivo. Colocar em prática esta forma de estar tanto no desporto como na vida, tem impactos extraordinários, fundamentalmente na nossa autoestima e confiança, dando-nos uma força enorme para concretizar o nosso propósito e os nossos sonhos. É certo que nem sempre conseguimos fazê-lo! Mas é pelo percurso percorrido, focado no objetivo de atingir a superação, que nos é permitido realizar uma enorme aprendizagem que consequentemente nos torna mais fortes, mais maduros e melhor preparados para enfrentar os próximos obstáculos.

Pergunta legitimamente o leitor: e se o jovem não conseguir atingir os mais altos patamares desportivos para o qual lutou? Poderá ser uma frustração ainda maior? Sim pode. Mas como devemos ser positivos e olhar para o “copo meio cheio”, acredito que as aprendizagens lhe ficarão para a vida e que certamente o seu exemplo ajudou alguém a sentir-se inspirado para atingir o seu propósito.

De facto, mesmo fazendo tudo o que está ao seu alcance, o jovem desportista pode não atingir o mundo desportivo de alta competição, tal como acontece a muitos praticantes que dedicam a fase inicial da sua vida ao seu desporto de eleição. No entanto, fica a grande vitória proporcionada pelo caminho percorrido, que o levou a reunir as condições para que tenha uma VIDA FELIZ. E isso não é fenomenal?

Como diria o nosso ilustre escritor, no fim, “tudo vale a pena…”

 

João Sá Pinho