Mais Beiras Informação

Diretor: Paulo Menano

Nota de imprensa da Juventude Social Democrata Fornos de Algodres

No seguimento das recentes notícias da não abertura repetida do serviço de consulta aberta na Unidade de Cuidados de Saúde Personalizados (UCSP) de Fornos de Algodres, a Juventude Social Democrata remeteu uma carta à Ministra da Saúde, Dr.ª Marta Temido, com o intuito de lhe solicitar a sua maior atenção para este problema vivido pela população do concelho de Fornos de Algodres, num momento em que se discute as políticas para o ano de 2022.

 

“A Juventude Social Democrata de Fornos de Algodres remete-lhe esta presente carta, com o intuito de lhe solicitar a sua melhor atenção para a nossa região, neste período importante de reflexão e discussão do próximo ano. Solicitando a sua a colaboração e empenho em travar o fosso das desigualdades de acesso à saúde no nosso país.

Os anos de 2018 e 2019 ficaram marcados pelo maior investimento público no Sistema Nacional de Saúde (SNS), acompanhados pelo maior número de profissionais de saúde a trabalhar no SNS
atingido em 2019, dados anteriores a esta situação pandémica, disponíveis no Pordata.

Os anos de 2020 e 2021 ficaram marcados pela pandemia de COVID-19, o foco principal passou a ser o combate à pandemia, mas este período apesar de ter demonstrado também algumas das debilidades já existentes no SNS anteriores a esta situação, o Senhor primeiro-ministro sempre tranquilizou os portugueses que não haveria qualquer tipo de falta no SNS.

E posto isto, Senhora Ministra, como se pode explicar aos habitantes do concelho de Fornos de Algodres, num momento em que as restrições vão sendo aliviadas, que grande maioria da população se encontra vacinada e que com o investimento histórico no SNS, a Unidade de Cuidados de Saúde Personalizados (UCSP) de Fornos de Algodres, se depare com o encerramento do serviço de consulta aberta, já de forma repetida, chegando a acontecer num período de fim de semana, como aconteceu no primeiro fim de semana de outubro, por falta de recursos humanos, neste caso médicos.

Senhora Ministra, o acesso aos cuidados de saúde não pode tirar férias! Apresentamos o exemplo de fornos de Algodres, por ser o que mais sentimos, mas nestes terrenos de baixa densidade, que já lhes retiraram o serviço de urgência, agora com esta privação paulatina, estamos a dificultar o acesso da população a um cuidado essencial. E como disse, o ViceAlmirante Gouveia e Melo, todas as vidas são importantes e temos de cuidar delas com o mesmo empenho.

A pandemia deixou marcas profundas, houve imensas consultas não efetuadas que agora, infelizmente, começarão a ganhar visibilidade e que vão exigir o melhor tratamento e cuidado. Esperemos que Ministério da Saúde se prepare para agir bem e depressa, principalmente nesta nossa região que necessita de recursos para melhorar a sua capacidade de resposta.

Senhora Ministra da Saúde, na discussão deste orçamento de estado para 2022, tenha presente as dificuldades com que estas pessoas se têm deparado. Não podemos continuar a reduzir a oferta de cuidados de saúde no nosso território.

Não podemos continuar a acentuar as desigualdades de acesso aos cuidados de saúde.”